Pular para o conteúdo

O que é bitcoin e como funciona essa moeda virtual?

O que é bitcoin e como funciona

Uma nova tecnologia que vem despertando cada dia mais a curiosidade das pessoas são as moedas virtuais, como o bitcoin, que é a mais conhecida.

Mesmo essa sendo a moeda virtual mais popular no mundo todo, existem muitas coisas que as pessoas não sabem sobre ela, o que faz com que diversas dúvidas surjam todos os dias.

Já é possível pesquisar por notícias de pessoas que dizem ter investido no bitcoin e ficado ricas, o que aumentou o interesse das empresas no ramo das moedas virtuais.

Elas permitem a compra de qualquer item que o dinheiro físico pode comprar, desde coisas muito caras até as menos caras como cromato de zinco, por exemplo.

Esse tema tem ganhado tanto destaque que o próprio BACEN (Banco Central) está avaliando a possibilidade de criar uma moeda digital para o Brasil.

Mas, enquanto isso não acontece, o artigo a seguir apresentará algumas informações a mais sobre essa moeda virtual que está cada dia mais em evidência.

Conheça o bitcoin e como ele funciona

O mundo tem evoluído muito nos últimos anos, e isso graças às novas tecnologias que vêm surgindo, desde as que permitem a automação hidráulica industrialaté as que criaram uma nova maneira de fazer dinheiro, como o bitcoin.

O bitcoin foi a primeira moeda virtual do mundo e segue sendo a mais conhecida até hoje. Vale ressaltar que uma moeda deste tipo não existe em nenhum lugar além dos sistemas.

Além disso, ela é descentralizada, ou seja, nenhum banco nem o governo possuem algum tipo de influência em transações envolvendo bitcoins.

Ele também é chamado de criptomoeda, termo criado para o dinheiro que existe apenas na Internet, pois mesmo que seja real, não existe uma versão física dele.

Como essa moeda não tem ligação com bancos, as próprias pessoas são responsáveis por enviar ou por receber esse dinheiro, que é limitado.

Ele é limitado, pois a tecnologia que criou a moeda permite a emissão, virtual, de até 21 milhões de bitcoins no máximo.

A moeda é operada através de uma rede descentralizada que leva o nome de blockchain, que em tradução livre para a língua portuguesa seria “corrente de blocos”.

O blockchain permite que os bitcoins sejam rastreados com pedaços de códigos de dados, tanto na hora de enviar quanto na hora de receber.

A criptografia surgiu junto da moeda virtual, ela é como uma camada extra de segurança que protege algo de invasores, deixando suas informações mais difíceis de entender.

Esse recurso se assemelha muito aos que são usados para garantir a proteção de contas em bancos digitais que tentam ser tão assertivas quanto um sistema rastreador e bloqueador veicular via celular.

Saiba como investir nessa moeda

Além da conhecida mineração, existem mais algumas opções para se investir nessa moeda, e cada uma delas funciona de um jeito. Algumas delas, são:

  • Mineração da criptomoeda;
  • Direto com os usuários (peer-to-peer);
  • intermédio de corretoras especializadas (exchanges);
  • Fundos de investimento nas criptomoedas.

Visto isso, entenda a seguir como cada um desses investimentos na moeda virtual se caracteriza.

1. Mineração de bitcoin

A mineração de bitcoin pede o uso de computadores de desempenho alto, para que o acesso à rede blockchain não seja interrompido.

O usuário que acessa esse sistema resolve cálculos matemáticos complexos, e quando acha a solução, recebe as frações de bitcoin.

Mas, para isso, é preciso ter equipamentos compatíveis que sejam capazes de atender ao que a demanda solicita.

Assim como pede o envolvimento de profissionais em um serviço de instalação de compressor trifasico, por exemplo.

2. Peer-to-peer

A segunda alternativa é negociar direto com usuários. O termo em inglês peer-to-peer é usado para se referir a ela, que traduzido significa “de pessoa para pessoa”.

Quando a operação é feita dessa forma, ela não precisa de intermediários, pois o valor do bitcoin é negociado entre os dois envolvidos no canal em que estão se comunicando.

3. Exchange

É possível comprar bitcoins também através de empresas especializadas nas transações com esses tipos de criptoativos, chamadas de exchanges.

Para isso, é necessário fazer o cadastro e preencher uma ficha respondendo algumas perguntas pessoais, como sua data de nascimento e o CPF.

4. Fundos de investimento

A negociação coletiva acontece em operações relacionadas às funções de investimentos, ele reúne as pessoas interessadas nesse ativo digital.

Essas pessoas aplicam seus recursos que, juntos, se tornam um patrimônio líquido. Esse patrimônio é aplicado no bitcoin criptoativo e, no final, o lucro é dividido entre todos que participaram.

Como surgiu e qual o seu objetivo?

Essa moeda virtual teve seu surgimento em outubro do ano de 2008, e até hoje não se sabe se ela foi criada por uma pessoa ou por várias.

Mas quem a criou usou o pseudônimo de Satoshi Nakamoto. Ele enviou um e-mail para algumas pessoas que demonstraram interesse em criptografia com algumas informações.

Na mensagem, ele dizia que estava trabalhando com um sistema totalmente novo de dinheiro eletrônico e sem a necessidade do envolvimento de terceiros.

Junto da mensagem, ele também incluiu um manual muito específico que explicava tudo o que as pessoas precisavam saber sobre essa criptomoeda nova.

No documento, ele também descreveu os fundamentos do bitcoin, que foram baseados em alguns pontos principais descritos na mensagem.

O objetivo principal do bitcoin era ser como uma moeda descentralizada, ou seja, que não dependesse de instituições financeiras para ser considerada válida.

Além de ajudar na praticidade, que foi o que impulsionou o crescimento dessa moeda em vários lugares do mundo.

O método de movimentação mais seguro e mais rápido como rastreadores veicularesque o bitcoin permite, foge da precisão de intermediários entre os negociadores.

Maiores vantagens em investir no bitcoin

Existe uma série de vantagens para quem decide investir no bitcoin, conheça a seguir algumas delas e entenda um pouco mais a respeito de cada uma.

1. Menos burocrática

Não é necessário fornecer vários documentos para comprar bitcoins e nem esperar que o pedido seja aprovado. O cadastro é confirmado no mesmo dia e só é preciso informar sua identidade e comprovante de residência.

Mas é importante não negociar a criptomoeda em sites não confiáveis, portanto, busque lidar com corretoras reconhecidas pelo mercado.

2. Aceitação global

O bitcoin é uma moeda global, e quase todos os países do mundo já a aceitam como pagamento para negócios feitos todos os dias.

A maior vantagem dela é a ausência de tarifas de conversão, isso tendo em vista que o seu valor é o mesmo seja no Brasil, Estados Unidos ou qualquer outro país.

3. Não pode ser congelado

Por ser uma moeda que não é controlada por nenhum governo e nem por bancos, o bitcoin não pode ser congelado e nem sofrer taxas de imposto como algumas moedas sofrem.

Por isso, essa criptomoeda dá liberdade ao usuário de usá-la onde quiser e como quiser sem pagar nada mais por isso. Seja comprando um rack para servidor torre no Brasil ou em qualquer outro país.

4. Taxas menores

Quando transações com moedas virtuais são feitas, o custo das taxas são significativamente menores do que as que precisam ser intermediadas por bancos ou operadoras de cartão.

Diferente do que acontece com o dinheiro físico, a criptomoeda nunca esteve sujeita à cobrança de taxas como as cambiais e de IOF entre algumas outras.

Quanto essa moeda vale?

O valor do bitcoin pode variar todos os dias, isso por causa da sua produção que, em breve, acabará se esgotando. Ela segue a lei da oferta e demanda.

Ou seja, se mais pessoas procuram por um painel acústico, mais caro esse produto ficará e vice-versa, por isso, a moeda sofreu com uma notória desvalorização.

As oscilações no seu valor já chegaram a 20% em apenas um dia, e a falta de uma regulamentação da moeda tem tudo a ver com essa baixa.

Atualmente, no ano de 2022, somente um bitcoin vale mais de 20 mil dólares americanos e mais de cem mil reais aqui no Brasil.

Esse é um investimento considerado de alto risco por especialistas, mas, mesmo assim, é seguro para investir dado o fato da presença da criptografia que afasta golpes.

Uma informação adicional é que, desde o ano de 2019, caso o lucro do investimento na moeda seja maior do que R$ 35 mil, ele deve ser informado no imposto de renda.

Considerações finais

Independente das suas várias vantagens e dos seus altos riscos, o bitcoin cresceu muito nos últimos tempos, mesmo não sendo reconhecido por alguns governos.

Existem alguns, como o da Rússia, que se posicionaram totalmente contra esse tipo de dinheiro e se recusam a aceitar que essa é a moeda do futuro, como muitos afirmam.

Várias pessoas acreditam que no futuro tudo o que se pensar, desde um Pmoc ar condicionado Split até um carro da moda, será adquirido com moedas virtuais como os bitcoins.

E, com o crescimento dessa moeda, o Brasil também vem estudando maneiras de incluí-la nos sistemas de declaração de impostos de renda do país.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.